Meta alcançada. Próxima?

Cumprindo metas e (não) comemorando vitórias.

Esses tempos, me peguei pensando em como é engraçado o fluxo das coisas na vida adulta: nós sonhamos com algo, buscamos isso incessantemente, nos decepcionamos com a busca e aqui rola uma bifurcação: ou desistimos e carregamos a desistência pra sempre, ou finalmente concluímos a busca e quase que instantaneamente nos damos conta de que é necessário estabelecer outro objetivo, entrando nesse eterno fluxo de buscas.

sempre correndo

O meu ponto aqui não é dizer que é errado fazer planos atrás de planos (afinal, esse é o sentido da vida adulta) e sim dizer que percebi que nós raramente comemoramos uma vitória verdadeiramente. Sério. Precisei parar e refletir: quando foi a última vez que eu realmente comemorei uma das minhas vitórias?

Eu fiz esse exercício usando meus últimos 5 anos. Concluí a faculdade e comecei a procurar o emprego dos sonhos. Arrumei um emprego bem qualquer coisa. Voltei pra faculdade pra realizar um outro sonho antigo – e estudar o que eu queria de verdade. Comecei a buscar por romance, ao mesmo tempo que me desesperava por conta das provas. Sobrevivo as provas, e começo a namorar. Troco de trabalho, um bem melhor que o antigo. Problemas no namoro. Entrega de um super trabalho na faculdade. Termino o namoro. Outra semana de provas. Começo o Trabalho de Conclusão de Curso. Novo namoro, novas alegrias. Novamente semana de provas.

No fim, eu não tinha parado 5 minutos pra comemorar o que eu tinha realizado – eu substituía a alegria da vitória pela definição de uma nova meta, sempre de modo ininterrupto. E a sensação de que precisava cumpri-la tornava-se maior que a ideia de que eu tinha acabado de fazer algo grande – seja pela empresa, pela faculdade, pelo meu namoro ou por mim. Provavelmente é pelo modo que fomos criado: tenha um bom emprego, um bom casamento e bons filhos que terás uma boa velhice… A questão é: qual o parâmetro de bom? Eu não deveria estar comemorando o agora? Não deveria ser um pouco menos formiga e um pouco mais cigarra?

quando é a hora de parar?

Desde então, eu tenho estabelecido uma sub-tarefa pra cada obrigação ou dever cumprido: comemorar sua realização, por menor que seja. Minha meta, por agora, é comemorar minhas metas cumpridas.

E você, quando foi a última vez que comemorou algo que conseguiu realizar?

(Esse texto foi postado em parceria com a Glambox Mag, uma magazine super fofa com matérias interessantíssimas. Recomendo a visita!)