Como não enlouquecer antes dos 30

Ou dos 29, 28, 27…

É muito engraçado atribuir crises à datas e épocas específicas da nossa vida: A crise dos 40 anos, a crise dos 6 meses de namoro… E como sempre fui super precoce pensei: por que não adiantar a próxima crise da minha vida? Vamos inserir uma crise dos 30 aos 26!

ah, não pode, é?


Brincadeiras à parte, eu tenho tentado lidar melhor com as neuras da minha vida e viver mais de boas. Problema a gente tem, isso é inevitável. Então, se pudermos pensar em algumas coisas e estabelecer alguns padrões de resolução, por que não?

Você é sua própria régua

Vamos admitir que todo mundo já sentiu um pouco de inveja. Instagram, Facebook e LinkedIn estão aí para esfregar na nossa cara as viagens que não fizemos, os empregos que não conseguimos, o corpo que não conquistamos e os objetivos que não concluímos. Vamos fazer um exercício rápido? Me diga, de todas as coisas que você ainda não fez, quais delas você escolheu e não foram impostas pra você?
Não, não estou te dizendo que tua vida está maravilhosa e você precisa parar de perseguir coisas, lembre-se: eu não sou ninguém pra te dizer isso. Nem postagens em redes sociais. Você precisa saber o seu ritmo, as coisas que você quer pra sua vida e suas limitações sem levar em consideração o constante bombardeio de expectativas em que vivemos.

pra anotar: você. é. sua. melhor. régua.


Não mantenha se não se encaixa na sua vida

Hábitos, pessoas & coisas: Todos são extremamente importantes na sua vida. E é por isso que você precisa manter aqueles que se fazem sentido pra ti. Lembra que falamos da régua acima? Pois é. Réguas são boas também pra medir o que ainda se encaixa e o que não faz mais parte da sua vida.
De primeira pode soar uma dica meio escrota (principalmente por envolverem outras pessoas), mas sejamos honestos: o tempo passa, e às vezes os interesses se perdem no caminho. Uma vez que você conseguir entender isso, seu senso vai ficar mais apurado.

tchau/adeus/bye/derivados.


Mas não confunda “falta de interesses” com divergência na frequência emocional (que por acaso é o próximo tópico)

Entenda a frequência emocional das pessoas, e a sua própria.

João e Maria fizeram colegial juntos. Portanto, se viam todos os dias. Passaram-se 6 anos desde a formatura, e João e Maria agora tem outras prioridades na vida: seus empregos, seus relacionamentos, suas famílias, e a frequência que eles se veem é de uma vez a cada seis meses. João e Maria deixaram de se gostar?
Não. Mas outros fatores os levaram a estreitar a quantidade de vezes em que eles se encontram. Não ver uma pessoa com a frequência que você queria não significa que ela goste menos de você, e sim que às vezes a vida está complicada e as relações funcionam de modo diferente. Entender isso talvez te ajude a lidar melhor com as frustações envolvendo pessoas. Ou não; afinal, isso aqui não é ciência exata, não é mesmo?

aqui não tem nenhum life coaching não, viu?


Tudo bem ficar triste, tudo bem ficar puto.
Acho que a coisa que mais me irrita na nossa geração #gratiluz é a mania de minimizar qualquer sensação que não seja “gratidão” ou “obrigado, vida”. Ás vezes você quer esbravejar por que as coisas que você planejava não estão dando certo; às vezes, bate a bad por uma coisa que era importante pra ti e te chateou. A questão não é ter não esses sentimentos, e sim entender o que você pode fazer com eles. E sim, tudo bem querer mandar esse povo good vibes pras cucuias às vezes.

Então eu vou ficar aqui consumido pela raiva pelo resto desta tarde (por que eu posso, thank u very much).


Filtre as coisas que você absorve.

Olha, a quantidade de gurus formados na faculdade vida sobre como se sentir melhor é gigante. É absurda a quantidade de vídeos de “como curar a ansiedade e a depressão” que é encontrada com uma simples busca no Youtube. Então, a última dica desse artigo é: não siga esse artigo à risca, a não ser que ele faça algum sentido pra você. Encare tudo e absorva somente às coisas usando a opinião mais importante que você poderia ter: a sua.

e tenha sempre aquela famosa respostinha atravessada pra quem achar que você está gerenciando sua vida do modo errado.


Alexandre

Tem muito a dizer, na maior parte do tempo.